Como funciona o pagamento de um imóvel na planta?

Como funciona o pagamento de um imóvel na planta?

Talvez você já saiba uma coisa ou outra sobre financiamento e aquisição de imóveis, mas a jornada pode ser um pouco diferente quando se trata de um imóvel na planta. Você saberia dizer, por exemplo, qual é o fluxo de pagamento até a entrega das chaves?

Hoje vamos desmistificar esse tipo de compra. Continue lendo e entenda exatamente como é feito esse investimento!

Etapas de financiamento

Existem duas etapas de pagamento para um imóvel na planta: o período antes e depois da entrega das chaves. O contrato de compra e venda declara o início do primeiro período, no qual a casa ou apartamento ainda está em construção.

Normalmente, nesse momento, a própria construtora faz o financiamento, determinando as parcelas de acordo com algumas variáveis, mas já é possível financiar com uma instituição bancária.

Há o valor de entrada, que pode ser pago de uma vez ou diluído entre as outras prestações. Considera-se, também, o tempo restante para a conclusão da obra — quanto mais tempo, mais diluído o valor vai ficar.

Todas as parcelas incluirão apenas as taxas que estarão explicitadas no contrato. Não se trata de juros, mas de uma correção monetária com base no Índice Nacional de Construção Civil (INCC). São ajustes necessários, já que esses valores vindos dos futuros proprietários tem a finalidade de bancar a construção do imóvel.  Também é possível que, entre as prestações mensais, seja estabelecido algumas mais espaçadas, com valores maiores (trimestrais ou semestrais, por exemplo). Tudo isso é acordado previamente, por escrito.

Exemplo de negociação de imóvel na planta:

Se você adquirir uma unidade de um empreendimento que terá 24 meses até a entrega da obra, você terá:

– O valor de entrada – geralmente cerca de 20% do valor do imóvel;

– Valor restante diluído em 24 parcelas do financiamento, como falamos anteriormente, com correção do INCC ou poderá ter até mesmo os chamados “reforços” – parcelas de valor maior pagas em prazos maiores, como de 6 em 6 meses, até a entrega da obra. Esses valores de correção do INCC são importantes para o planejamento de fluxo de caixa da construtora e a garantia de uma entrega de obra dentro do prazo;

– Podendo ainda ter um valor final a ser abatido na entrega das chaves –  que pode ser realizado através de um financiamento bancário, se assim for acordado entre as partes.

A Caixa Econômica Federal também possibilita o financiamento na modalidade “Imóvel na planta”, que é uma linha de crédito destinada à construção de empreendimentos imobiliários. Em qualquer fase da obra, o imóvel na planta pode ser comprado por pessoas interessadas, que são agrupadas por uma entidade organizadora, que coordena a realização do empreendimento junto à construtora.

E se você quiser desistir da compra?

É possível desistir da compra, visto que a primeira parte da negociação é uma promessa, sem que o bem esteja pronto. Entretanto, é importante avaliar as razões por trás da decisão e se vale a pena tomá-la.

Se você quiser desistir por algum erro da construtora, como atraso na entrega do imóvel, você tem o direito a 100% de restituição do valor pago até o momento. Também é garantida a desistência sem custos para o comprador caso ela ocorra em até 7 dias após a assinatura do contrato.

Já no caso da rescisão partir por parte do comprador por razões pessoais, a situação será classificada como distrato e a construtora terá o direito de reter até 25% do valor já pago.

Entrega das chaves

A partir desse ponto, o mais comum é que o comprador faça um financiamento do restante da dívida com um banco,caso não consiga quitá-la à vista. É possível usar o FGTS e até participar do programa Minha Casa Minha Vida, dentro da faixa que sua renda permitir e dependendo do valor do imóvel.